quarta-feira, 28 de julho de 2010

Poemeto para a musa

Nessa regra de mistério 
Vou tentando adivinhar teu rosto 
Teus contornos. 
Tua voz ainda é o silêncio
Nessa realidade virtual.
Indo e vindo ali e acolá
Sempre a buscar o querer dela: 
A musa desconhecida. 
(Em tempo: ela um dia se desnudará para mim)

2 comentários:

  1. Em tempos modernos, isso acontece mesmo, realidade virtual!!!

    ResponderExcluir
  2. Já estou torcendo para que a musa se revele.

    Bjo grande

    ResponderExcluir